SODF participa de reunião para tratar sobre as nomeações de CDs

949

Na sexta-feira (16), o Diretor Jurídico do Sindicato dos Odontologistas do DF, Aroldo Neto, participou de uma reunião na Casa Civil para discutir sobre as futuras nomeações de Cirurgiões-Dentistas na SES/DF. Participaram do encontro a Superintendência De Gestão e Desenvolvimento de Pessoas da SES/DF (Sugep), a Assessoria de Gestão Participativa e Relações Institucionais (Arins) e a Secretaria de Estado de Planejamento Orçamento e Gestão (Seplag). Na ocasião, também estiveram presentes representantes de outras onze categorias.

A pauta discutiu as futuras nomeações, que devem acontecer nos próximos meses. Aroldo apresentou os dados de demandas da carreira e discorreu sobre a possibilidade do cumprimento do que estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2018, pois se o projeto fora aprovado na CLDF é porque o governo tinha previsão de nomear no mínimo este número de profissionais.

Na opinião do diretor, o governo deveria, no mínimo, compor as equipes de Saúde Bucal para reforçar a Estratégia de Saúde da Família (ESF) com a proporção de 1:1 e, principalmente, substituir as vacâncias que giram em torno de 76 profissionais de 40h que aposentaram e até o momento foram nomeados apenas 84 Cirurgiões-Dentistas. “Este número representa uma perda de profissionais em termos de carga horária, apesar das ampliações de carga horária ocorridas no final do ano passado, pois as aposentadorias são de 40h e as nomeações de apenas 20h”, disse Aroldo.

A subsecretária da SUGEP, Mariana do Rêgo, disse que o foco da Superintendência tem sido no fortalecimento da Atenção Básica, mas não apresentou uma proposta concreta com números para nomeação. A chefe da Assessoria de Gestão Participativa e Relações Institucionais (Arins), Danielle Soares Cavalcante, alegou que a Odontologia saiu de 94 equipes de saúde bucal para 274 equipes consistidas tendo sido “o maior avanço entre todas as carreiras”.

Aroldo considerou a ampliação do número de carga horária para 40h, mas reiterou que ainda era insuficiente, pois não representa ampliação da atenção à saúde bucal, por conta das vacâncias. O diretor do SODF, também reconheceu o esforço, mas discordou dos números apontados pela Arins, pois não foram realizadas 180 nomeações, para compor Equipes de Saúde Bucal – ESB. Ele argumentou o fato de que muitas equipes consistidas junto ao Ministério da Saúde já existiam.

Ao final da reunião, Aroldo solicitou que houvesse uma programação com prazo para as nomeações de Cirurgiões-Dentistas, dizendo que havia a necessidade de nomeações conjuntas com THD, para não haver descompasso de recursos humanos da Odontologia.

Por fim disse que, todos na reunião queriam efetivamente saber o calendário de nomeações com número concreto de profissionais.