Fiocruz lança pós-graduação em Vigilância em Saúde Pública

68

As situações de surtos, epidêmicas, endêmicas e pandêmicas têm representado um grande desafio para a saúde pública no Brasil. No setor público, é consenso que as esferas governamentais e suas instituições necessitam de uma maior produção de conhecimento tático e estratégico, baseados em evidências científicas, que subsidiem o enfrentamento de problemas atuais de saúde pública como a atual pandemia da Covid-19. Para colaborar com a preparação do sistema para os cenários que estão por vir, a Fundação Oswaldo Cruz, por meio de sua Vice-Presidência de Educação, Comunicação e Informação (Vpeic/Fiocruz), lançou o Programa Educacional em Vigilância em Saúde Pública, com foco na vigilância, preparação e resposta a eventos de importância nacional (VigiLabSaúde-Fiocruz). O objetivo é formar mestres e doutores visando fortalecer as ações e serviços que fazem parte do Sistema Nacional de Vigilância em Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). As inscrições podem ser realizadas até o dia 21 de fevereiro de 2022. Os editais estão disponíveis no site do Programa e no Campus Virtual Fiocruz.
Os cursos serão ofertados por meio de um consórcio entre Programas de Pós-Graduação da Fiocruz com apoio e financiamento da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (SVS/MS), que investiu R$ 3,5 milhões nesse Programa Educacional. Podem participar da seleção para o Mestrado Profissional (30 vagas) e para o Doutorado Acadêmico (20 vagas) profissionais e/ou gestores de saúde, preferencialmente servidores do quadro efetivo da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde de todo o país, que atuam notadamente na resposta às emergências em saúde; e profissionais da área de saúde que atuem na vigilância laboratorial em saúde pública.
“A importância de termos um sistema de vigilância em saúde forte e qualificado ficou mais evidente durante a pandemia da Covid-19, um dos maiores desafios em toda a história da nossa Saúde Pública. Por isso, a SVS/MS investe na formação dos nossos profissionais e gestores de saúde que atuam na preparação e resposta as emergências em saúde pública, em também na vigilância laboratorial. Esses cursos de mestrado e doutorado contribuirão para alcançarmos uma Saúde Pública cada vez melhor para o nosso país”, ressaltou Arnaldo Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.
Segundo Eduarda Cesse, coordenadora do VigiLabSaúde-Fiocruz, as mudanças no perfil epidemiológico e demográfico no país, os desafios relacionados à distribuição de insumos e ao fluxo de pessoas, e a existência de casos e óbitos de agravos que impactam a gestão do sistema de saúde dos municípios brasileiros, tornam a iniciativa mais do que oportuna. “A capacitação dos profissionais que atuam na vigilância em saúde, em particular dos diretamente envolvidos em ações de detecção e respostas a epidemias, endemias e emergências de saúde pública no país, como a que vivemos desde 2020, vão colaborar para aperfeiçoar e ampliar as ações da vigilância em saúde diante de cenários que possam emergir”, comentou.
Antes de realizar a inscrição e iniciar o processo seletivo, o candidato deve conhecer todas as regras da chamada e certificar-se de que preenche todos os requisitos exigidos. O processo de inscrição dos candidatos será totalmente online. As inscrições poderão ser efetuadas após cadastro no Login Único da Fiocruz, cujo link e passo a passo também estão indicados nos editais. Por ocasião da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a seleção dos candidatos será realizada em três etapas – prova de inglês, análise curricular e documental e entrevista –, através de Plataformas Digitais.
A chamada pública do VigiLabSaúde-Fiocruz conta com ações afirmativas: 7% das vagas serão destinadas a candidatos que se declararem pessoas com deficiência, 20% a candidatos que se autodeclararem negros (pretos e pardos) e 3% (três por cento) serão destinadas a candidatos que se autodeclararem indígenas. As demais serão de ampla concorrência.
As aulas estão previstas para começar no segundo semestre de 2022. Enquanto a emergência sanitária por Covid-19 perdurar, as atividades acadêmicas desenvolvidas pelos programas consorciados na chamada especial VigiLabSaúde-Fiocruz serão oferecidas na modalidade de Ensino Remoto Emergencial. Quando passar a ser presencial, para o Mestrado Profissional as atividades serão oferecidas durante uma semana por mês na unidade Fiocruz Pernambuco, no Recife (PE), na Fiocruz Brasília e na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), no Rio de Janeiro (RJ). Para o Doutorado, as atividades presenciais serão oferecidas na Fiocruz Brasília e na Ensp/Fiocruz.
A formação é totalmente gratuita e uma forma de contribuir para a formação de recursos humanos que atuam na área de saúde, bem como para o fortalecimento do SUS e na produção de evidências científicas. Não haverá concessão de bolsas e nem de auxílio de qualquer natureza para os selecionados. O e-mail de contato para dúvidas sobre os editais, processo de inscrição e seleção é o selecaodo.vigilabsaude@fiocruz.br, para o doutorado, e selecaomp.vigilabsaude@fiocruz.br, para o mestrado profissional. Saiba mais no site do Programa e no @formacaovigisaudefiocruz.