Comissão identifica falhas e recomenda ajustes na vacinação do DF Deputados que acompanham a campanha de imunização também reforçam necessidade de compra direta de doses para não depender do governo federal

200
Um parecer preliminar elaborado pela Comissão Especial de Vacina da Câmara Legislativa (CLDF) encontrou falhas estruturais e recomendou, nesta quinta-feira (18/3), que a Secretaria de Saúde ajuste questões para melhorar o plano local de imunização da Covid-19. Além disso, os deputados distritais orientam a compra de doses da fórmula diretamente pelo fabricante para garantir estoque para o Distrito Federal nas próximas fases da pandemia.
O relatório é assinado pelo deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos) e indica, por exemplo, espaço insuficiente das salas de vacinação das Unidades Básicas de Saúde (UBS), principalmente quando houver maior disponibilidade de doses para aplicar na população.

No mesmo documento, os parlamentares apontam a necessidade de ampliação da rede de frio da Secretaria de Saúde com mais congeladores para conseguir estocar imunizantes que necessitem de temperaturas mais frias.

“Sabe-se que as vacinas necessitam de uma temperatura de +2ºC a +8ºC para sua conservação, e em uma de nossas visitas nos deparamos com um refrigerador comum, doméstico, de marca popular, para conservação das vacinas. Isso compromete toda a seriedade que o momento exige e transparece o despreparo estrutural que nosso Sistema de Saúde possuí”, elenca.

Controle de insumos

No documento, a comissão também afirma ter encontrado problemas no controle de insumos da pasta nas unidades regionais.

“Ocorre que foi constatada uma falha sistêmica-tecnológica que controla o estoque de medicamentos, bem como os EPI utilizados pelos servidores, pois não há uma comunicação entre os sistemas, o que resulta numa imprecisão de dados, portanto esse ajuste precisa ser feito com a máxima urgência, para que com o aumento da demanda, não haja negligência com os profissionais de saúde no tocante aos EPI’s”.

Por fim, os distritais orientam pela melhora da “transparência na divulgação dos vacinados, dividindo por regiões administrativas”.

“Espero que o governo possa acolher nossas recomendações, sob ponto de vista de transparência. Precisamos entender o prazo de duração dos efeitos das vacinas e já nos anteciparmos para as próximas fases da campanha, especialmente no ano que vem, quando os que já foram imunizados até agora precisem reforçar as doses”, disse Delmasso.

O presidente da comissão especial, deputado Fábio Felix (PSol), avaliou ter sido avançar na constituição da comissão, composta de forma pluripartidária.

“Isso monstra o compromisso de todos os parlamentares com a vacinação na nossa cidade. Fizemos diligências, constatamos falta de insumos e fazemos recomendações taxativas ao GDF. Uma das mais importantes recomendações é que o governo compre a vacina e não dependa do Plano Nacional de Imunização”, disse.