TCDF pede resposta à Saúde sobre situação precária no Hospital do Gama

30

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) determinou que a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) esclareça acerca de suposta situação precária no Hospital Regional do Gama (HRG) com possíveis inadequação das estruturas físicas e sobrecarga de trabalho para os profissionais de saúde.
Na sessão plenária dessa quarta-feira (22/9), o TCDF acolheu uma representação protocolada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), que traz uma denúncia feita pelo Sindicato dos Médicos do DF. Segundo o documento, o SindMédico relatou que, durante vistoria realizada na Clínica Médica do Pronto Socorro Adulto do HRG, em 4 de agosto deste ano, foram encontradas irregularidades nos serviços de urgência e emergência da unidade.
Entre as falhas apontadas pela entidade estão a insuficiência de médicos e a falta de materiais e de equipamentos básicos, como monitores multiparamétricos em número suficiente para todos os leitos da sala vermelha. O sindicato ainda denunciou deficiência na prestação de assistência a pacientes internados e problemas na estrutura física do hospital, o que poderia contribuir para uma contaminação cruzada de pacientes.

De acordo com a decisão do Tribunal de Contas do DF, a SES-DF tem o prazo de 10 dias para se manifestar sobre os pontos levantados na representação.

Em nota, a Secretaria de Saúde do DF informou que “prestará todos os esclarecimentos solicitados pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF)”. “A pasta ressalta que possui contrato de manutenção vigente no Hospital Regional do Gama (HRG), e, recentemente, foram lotados 13 médicos temporários na unidade”, disse.