Encerramento do Conselho Regional de Saúde de Taguatinga fez balanço positivo de 2018

Votação do calendário de 2019 e fechamento do ano foram debatidos pelo conselho e comunidade, na última reunião ordinária de 2018.

98
Conselho Regional de Saúde de Taguatinga

O Conselho Regional de Saúde de Taguatinga-DF realizou a reunião de encerramento no auditório do HRT, na última quarta-feira, dia 5. Estiveram presentes no evento, o Presidente do Conselho, Dr. José Simões, a Superintendente de Saúde do Sudoeste, Dra. Lucilene Florêncio, o Diretor Jurídico do Sindicato dos Odontologistas do DF, Dr. Aroldo Pinheiro, além de representantes entre usuários, trabalhadores e gestores da região.

Na ocasião, os membros do conselho seguiram com a pauta deliberativa e deram a palavra para informes gerais, pronunciamentos sobre o balanço de atividades de 2018 e encerramento dos trabalhos do ano.

Entre os itens em destaque na pauta, votados durante a reunião, estiveram a definição de uma lista tríplice para indicação da nova Superintendência da região do Sudoeste e a aprovação do calendário de atividades do conselho para o ano de 2019.

Dentro dos informes dos conselheiros e da Mesa Diretora, ficou registrado na agenda do próximo ano a realização da Conferência Nacional de Saúde. Diante do evento, o conselho aprovou também o mês da Conferência Regional de Saúde, definida para o fim de junho de 2019.

Sobre a sugestão da lista tríplice, inclusa na pauta, o conselheiro Ronaldo Seggiaro propôs que fosse apresentada uma proposição divergente da mesma. O conselheiro sugeriu que fosse construído um documento, ao invés da lista, justificando que decisões políticas e indicações para cargos não seria de incumbência do CRST. O requerimento foi acatado pelo plenário do Conselho.

A plenária também deliberou que o Conselho fizesse o documento através da mesa diretora, solicitando ao próximo governo que em caso de mudanças, estas sejam graduais, para que não prejudique trabalhos que já estão em desenvolvimento e que avalie os programas implantados no governo anterior, considerando manter o que gerou de resultado positivo. Programas como o “Saúde da Família”, implantados no governo atual, foram citados e o Conselho pedirá que sejam avaliados adequadamente, direcionando para uma política mais justa e republicana. O mesmo foi aprovado e será encaminhado ao governo de transição ainda em dezembro.

Durante o encontro, o calendário de reuniões de 2019 foi aprovado e incluso o 8º Fórum de Saúde de Taguatinga, evento que tem por objetivo estabelecer os delegados da Pré Conferência de Saúde. Já as reuniões ordinárias do CRST ficaram marcadas para todas as terceiras quartas-feiras do mês, a partir do ano que vem.

Membros da Mesa manifestaram suas opiniões sobre os trabalhos durante o ano e fizeram uma avaliação a respeito. O Presidente, Dr. José Simões, se pronunciou no fim da reunião e considerou positivo e harmonioso o trabalho que o Conselho construiu junto no ano de 2018. Dr. Simões ressalta que apesar dos problemas que ainda existem na área de saúde divulgados pela mídia, o ano seguiu com um trabalho relevante para população e declarou “que a luta continua”.

Para a Superintendente de Saúde de Sudoeste, Dra. Lucilene Florêncio, o ano foi excelente, principalmente para o amadurecimento da gestão do Sudoeste junto com a de Taguatinga. A Superintendente declarou que a participação social este ano teve um papel fundamental para a realização de um bom trabalho e que os usuários foram beneficiados com a atual gestão. “Esgotamos todos os temas, com vários encontros para debater juntamente com os trabalhadores, usuários e gestores do sistema de saúde e, diante de um consenso, todos foram contemplados de modo positivo”, ressaltou.

Por fim, o Diretor Jurídico do SODF, Dr. Aroldo Pinheiro, que também é representante dos trabalhadores em saúde no Conselho Regional de Saúde de Taguatinga, ressaltou a importância destes espaços de participação política para que o Cirurgião-Dentista possa se inserir políticas públicas de saúde em suas regiões administrativas, com o objetivo de defender as demandas da categoria e de todo o coletivo de trabalhadores, para que assim possam ser criados mais ambientes de participação e efetivação de políticas positivas no novo governo.