Boas ações não tiram férias

13

Visando a conscientização e a sensibilização das pessoas acerca da necessidade e importância de se doar sangue, neste dia 25 de novembro comemora-se o Dia Nacional do Doador de Sangue. A data se torna ainda mais importante pois coincide com a chegada do período de férias que, de acordo com a Dra. Rita Mejias, costuma apresentar baixas no número de doações “são nesses momentos que a adesão à doação é mais baixa”, afirma a médica.

Com o agravante da pandemia, que reduziu significativamente os estoques da Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) devido ao isolamento social e o medo de contrair o novo coronavírus, as ações visando alcançar o maior número possível de doadores estão a todo vapor pelo DF. Segundo dados preliminares do Ministério da Saúde, estima-se que no ano passado, em razão do receio da população, houve uma diminuição de até 20% nas doações quando comparado ao ano de 2019.
Um exemplo de instituição envolvida nesse processo e comprometida com o ato solidário para ajudar os pacientes que necessitam de transfusão é o Hospital Santa Marta (HSM). Além de estimular os colaboradores para a doação de sangue, o HSM convida a população para realizar o gesto, inclusive as pessoas que tiveram covid-19 e as que já foram vacinadas. Isto porque, como garante a Dra. Rita Mejias, coordenadora do Serviço de Hemoterapia do Hospital Santa Marta, as pessoas que tiveram Covid-19, desde que sem sequelas importantes, podem doar sangue. A recomendação, de acordo com a profissional, é apenas que o ato seja realizado após 30 dias da contaminação.
Já as que se vacinaram, seja em território nacional ou, até mesmo, no exterior, a biomédica informa os protocolos a serem seguidos, de acordo com cada tipo de vacina, conforme suas respectivas orientações. “Coronavac e Covaxim, por exemplo, a doação é após 48 horas em cada dose”, explica. AstraZeneca, Pfizer, Jassen e Moderna, por sua vez, necessitam que haja um intervalo de 7 dias. O pedido, conforme salienta a entidade, é emergencial.
A biomédica lembra ainda que, no fim do ano, com o período das chuvas, os casos de acidentes e de pacientes politraumatizados aumentam, e estes são os que mais precisam da transfusão de sangue. “Vale destacar também que pacientes crônicos, como os com câncer e anemia falciforme precisam de transfusão de sangue periodicamente. A pandemia não parou para eles, então doar sangue é primordial e necessário”, convida a especialista.
A Doutora reforça que todas as medidas de segurança estão sendo tomadas, e que não há riscos de contaminação durante a contribuição. “A pandemia trouxe uma série de mudanças na doação de sangue em todo o país. Além da inclusão de novos critérios de elegibilidade desse doador, medidas preventivas foram incorporadas à rotina dos hemocentros, justamente para atender as pessoas durante o período de pandemia”, desenvolve Rita, citando métodos como distanciamento entre as cadeiras, uso de máscaras assim como de todos os Equipamentos de Proteção Individual.
Outra ação em trânsito neste momento é o do próprio Hemocentro. Com o objetivo de agradecer aos doadores e estimular a doação de sangue no Distrito Federal, o FHB realiza, entre 22 e 26 de novembro, a Semana Nacional do Doador de Sangue. Neste ano, a data contará com uma homenagem aos doadores de sangue, assim como diversas apresentações culturais. “O momento é importante para agradecer a todos que doam um pouco de si para salvar vidas e lembrar que as doações de sangue devem ser regulares”, comenta o presidente do Hemocentro, Osnei Okumoto.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
No prédio do Hemocentro, haverá ainda um mural desenvolvido em parceria com o Boulevard Shopping, que formará uma espécie de “hall da fama” com o nome dos 27 doadores e multiplicadores que foram destaque durante o ano de 2021. Estarão inclusos doadores jovens, idosos, fenotipados e organizadores de grupos de doação. Em 2020, mais de 8 mil moradores de Ceilândia, Taguatinga e Samambaia doaram sangue. Estas são, respectivamente, as três cidades com os maiores em números de doadores depois do Plano Piloto.
Contemplando as comemorações, a carreta Hemocentro Itinerante fica até sexta-feira no estacionamento do JK Shopping, na cidade de Taguatinga. O projeto do veículo é uma ideia do grupo DPSP (união das marcas Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo) em conjunto com a startup social SAS Brasil. “A população do Distrito Federal abraça a doação de sangue, por isso o Hemocentro Itinerante vai ficar em um local estratégico que atende três regiões administrativas muito importantes para o Hemocentro de Brasília”, completou o secretário.
Para doar
A carreta Hemocentro Itinerante atenderá no estacionamento do JK Shopping até sexta-feira (26), somente com agendamento prévio por meio do site da SAS Brasil. Já para quem prefere doar sangue na sede do Hemocentro, localizada na Asa Norte, o agendamento deve ser feito por meio do site O atendimento é de segunda a sábado, das 7h15 às 18h.
Entre os requisitos básicos para doar, é necessário estar em boas condições de saúde, ter 16 a 69 anos, mais de 51kg, estar descansado e alimentado no momento da doação e apresentar documento original e oficial com foto.